Início > Beleza > Estética ou necessidade: Saiba quando a otoplastia é indicada
Postado no dia 7 janeiro, arquivado na categoria Beleza

A otoplastia é a cirurgia plástica indicada para tratamentos de imperfeições estéticas ou funcionais nas orelhas.

A indicação da otoplastia deve ser realizada por um cirurgião plástico após avaliação dos fatores estéticos ou funcionais que motivam o paciente.

Mesmo com a importância da recomendação médica para se submeter a essa intervenção cirúrgica é possível conhecer alguns dos casos nos quais a otoplastia é a conduta mais apropriada. Saiba mais a seguir!

Quais problemas são corrigidos pela otoplastia?

O problema mais comum corrigido pela otoplastia é a orelha de abano, deformidade que faz com que a orelha fique projetada para frente.

Apesar de não causar alterações auditivas, dor ou desconforto físico, as orelhas de abano podem gerar problemas emocionais, principalmente em decorrência do bullying, mais comum entre crianças e adolescentes.

Por essa razão, a otoplastia pode ser realizada a partir dos 7 anos, evitando a formação de traumas em decorrência desse problema. Nessa idade, o desenvolvimento da orelha já está completo e, posteriormente, o ritmo de crescimento torna-se mais compatível ao da cabeça.

Apesar de a orelha de abano já ser evidente desde os primeiros meses de vida, os pais devem considerar alguns fatores antes de optar pela cirurgia plástica, como:

verifique se a orelha está projetada para frente, não ficando na posição natural devido à rotação nas fibras de estruturação;

identifique o nível de projeção da orelha, pois quanto mais para frente ela for, mais será evidente podendo resultar em maiores desconfortos;

converse com um médico especializado para avaliar os tratamentos disponíveis e necessidade da intervenção cirúrgica.

Ainda que a orelha de abano seja a deformidade estética que mais motiva a realização da otoplastia, a cirurgia plástica pode corrigir outras alterações na orelha, como:

macrotia: condição genética rara que faz com que as orelhas sejam grandes demais e desproporcionais ao rosto e à cabeça;

microtia: outra condição genética rara que causa o subdesenvolvimento da orelha, seja de uma ou das duas. Em casos mais graves pode causar perda auditiva;

traumas: deformidades em qualquer área da orelha, como no lóbulo ou cartilagem, em decorrência de acidentes. As alterações estéticas também podem ser provocadas pelo uso de brincos pesados ou alargadores;

assimetrias: quando as orelhas têm tamanhos distintos entre elas.

Portanto, são diversas as alterações estéticas e funcionais que podem ser corrigidas pela otoplastia, o que motiva a consulta com um especialista para verificar as indicações.

Quando a otoplastia é indicada?

A otoplastia é recomendada para pacientes com quaisquer das alterações mencionadas anteriormente, independentemente do grau de deformação da orelha.

Definir se uma cirurgia plástica é motivada por uma questão estética ou necessidade é complexo, pois depende da percepção individual de cada paciente.

A mesma alteração estética pode incomodar mais uma pessoa do que outra, sendo que, no primeiro caso, a correção poderia ser classificada como uma necessidade, para que o paciente supere traumas emocionais, e no segundo, ser uma questão estética, motivada apenas por um incômodo.

Portanto, o cirurgião plástico deve ter a sensibilidade de verificar qual a importância dada pelo paciente à alteração, o que explicaria também a urgência em realizar o procedimento.

No caso de a técnica ser realizada em crianças, os pais devem conversar com o filho para verificar se a estética da orelha é um aspecto que o incomoda e se causa problemas de convivência com outras crianças.

Nos casos de macrotia, microtia ou assimetrias a realização do procedimento pode ser necessária inclusive para tentar recuperar a capacidade auditiva do paciente, tendo uma motivação funcional para realização da técnica.

Independente se o paciente sente um pequeno ou grande incômodo, a cirurgia plástica é uma opção para atender aos dois casos, afinal, a motivação estética também é importante nessa escolha.

Como é realizada essa cirurgia plástica?

A técnica usada na otoplastia depende do caso que será tratado. Em geral, utiliza-se anestesia local com sedação nos adultos e anestesia geral em crianças. O procedimento tem duração de aproximadamente 2 horas, sendo que a alta hospitalar ocorre no mesmo dia.

Para corrigir a orelha de abano, que é a demanda mais comum, o procedimento envolve uma incisão na linha de trás da orelha para remoção do excesso de cartilagem e correção da rotação da orelha.

Nesse procedimento, as suturas são importantes para que a orelha se estabilize com a nova rotação. Os cuidados pós-operatórios envolvem principalmente o uso da medicação prescrita pelo médico e uso da faixa compressora.

A realização da otoplastia deve ser indicada e realizada por um cirurgião plástico que terá melhores condições de avaliar o caso individualmente e ponderar as expectativas do paciente em relação ao procedimento.

Newsletter


Criadora do blog, apaixonada por moda e maquiagem. Movida por sonhos. Ama música, sol e praia.